Odeio meu trabalho, mas preciso do dinheiro. É hora da mudança!

odeio meu trabalho mas preciso do dinheiro

Se algum dia você conhecer alguém que tenha a seguinte postura, odeio o meu trabalho mas preciso do dinheiro, saiba que essa pessoa está em estado grave, UTI, e precisa de ajuda urgente. Se for o seu caso, esse conteúdo escolheu você para ajudar a reverter essa situação.

Compromissos financeiros são grandes fatores motivacionais que levantam as pessoas da cama para irem trabalhar. Custo de vida, Projetos Futuros, Projetos que foram realizados e agora precisam ser honrados financeiramente, enfim… compromissos que requerem de você e de mim uma vida profissional ativa.

O grande problema aqui não é precisar do dinheiro, muito menos o meio escolhido pelo qual se produzirá o dinheiro. Uma pessoa que vive a realidade e fala para sim mesma, “odeio meu trabalho, mas preciso do dinheiro” vive um inferno diário. Pense no dia a dia dela, por um lado precisa aliviar a pressão financeira, por outro odeia o que faz para gerar o recurso financeiro? A maior parte do dia ela passa em uma prisão, fazendo o que não quer, convivendo com outras pessoas da forma que não quer, com uma sensação de não estar construindo nada de bom e duradouro. Pensa como deve estar a mente dessa pessoa no domingo à noite, quando vai se preparar para iniciar uma jornada na segunda feira pela manhã. O nível de estresse e insatisfação pode chegar a desencadear problemas de relacionamentos familiares, relacionamentos no trabalho, dores pelo corpo e até enfermidades físicas. E volto a falar, o problema não são as pressões financeiras e muito menos o que essas pessoas escolheram para aliviar essa pressão. O grande problema é considerar o trabalho que tanto odeia como a única fonte de renda.

Essa é uma tendência para as pessoas que se formam em uma faculdade em uma determinada profissão, e quando as coisas não vão bem, elas nem cogitam mudar a forma de fazerem negócios. O professor que acha que a única forma de fazer dinheiro é dando aulas, o dentista que acha que a única forma de fazer dinheiro é cuidando dos dentes dos pacientes, a diarista que acha que a única forma de pagar as contas é arrumando casas, e tantos outros na mesma mentalidade. Existem formas de se fazer negócios na sua área de atuação, mas isso pode ainda ser muito obscuro para algumas pessoas.

Odeio meu trabalho, mas preciso do dinheiro. É hora de mudar isso!

Ao se fechar nessa realidade de achar que a única maneira de fazer dinheiro é desempenhando algo que você tem experiência ou estudo, você fecha portas para as novas tendências de mercado, você cria barreiras entre você e um futuro extraordinário que jamais será vivido se não mudar a forma de pensar. Você se torna vítima das mudanças e não promovedor de mudanças. Você começa a afundar em um grande e terrível sentimento de insatisfação sem solução. Lembre-se sempre que suas experiências e seus estudos geraram em você muito mais do que um profissional naquela área específica. Um boa e bem paga diarista carrega em si experiências de disciplina, organização, visão, clareza, trabalho sobre pressão, foco, postura e tudo isso é requisito de pessoas bem-sucedidas. Um bom e bem pago professor carrega em si a curiosidade, a habilidade nas palavras, o discernimento de falar e esclarecer ideias para públicos diferentes, o jogo de cintura nas relações humanas e essas são habilidades de milionários. Ou seja, não é uma profissão específica que gera o recurso financeiro desejado, mas a forma, a mentalidade, o conjunto de habilidades que uma pessoa tem ao exercer aquela profissão. Existem vendedores de bolos que ganham R$1.000 (mil reais por mês) e existem vendedores de bolo que ganham R$1.000.000 (um milhão de reais) por ano e o produto é o mesmo.

O que fazer então?

Primeiro passo é ser grato pelas habilidades que você já tem e as que você adquiriu nesse trabalho que você tanto odeia. Segundo é reconhecer que habilidade se adquiri. Terceiro, abra a mente para outras formas de se fazer dinheiro e se tornar bom nisso. Necessariamente você precisará escolher um produto ou serviço e uma forma de fazê-lo chegar ao mercado. Uma forma que não atrapalhe você no seu trabalho plano A. Mesmo que você o odeia, pelo menos tem uma certa “segurança”, mesmo a curto prazo. E por último, quando alguém te perguntar qual a sua profissão ou qual área você atua diga a ela: minha área é o sucesso e minha profissão é ser bem-sucedido em tudo o que eu fizer.

Leia o artigo Importância da Satisfação Profissional e tudo ficará ainda mais claro para você.

Um grande abraço e até a próxima.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *